• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Live que debaterá a reestruturação do Banco do Brasil acontece hoje, às 17 horas.

Live que debaterá a reestruturação do Banco do Brasil acontece hoje, às 17 horas. Participe!

Publicado: 19 Janeiro, 2021 - 13h39

Escrito por: Assessoria SEEB-RO

notice

O Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB-RO) vai realizar, a partir das 17 horas desta terça-feira (19/1), uma live para debater a reestruturação do Banco do Brasil que prevê a extinção de, pelo menos, cinco mil empregos (através de dois Programas de Demissão Voluntária - PDV) e o fechamento de centenas de agências, escritórios e postos de atendimentos (PA’s) em todo o país. O processo, anunciado no dia 11, também desativará 361 unidades, sendo 112 agências, sete escritórios e 242 postos de atendimento.

Em Rondônia, segundo informações que chegaram – extraoficialmente - ao Sindicato, serão fechadas uma agência em Porto Velho, uma em Ariquemes, uma em Cujubim e uma em Alto Alegre dos Parecis. E pelo menos cinco agências serão rebaixadas (transformadas em Postos de Atendimento – PA), em Novo Horizonte, Seringueiras, Santa Luzia, Chupinaguia e Cacaulândia.

E em todas as agências do banco no Estado a figura do caixa será extinta.

A live contará com a participação de Mariana Coelho, da Comissão Executiva dos Empregados do Banco do Brasil (CEE-BB), de Wescly Mendes de Queiroz, secretário de Assuntos Jurídicos da Fetec-CN-CUT, Cleiton dos Santos, presidente da Fetec-CN-CUT, José Pinheiro, presidente do SEEB-RO e do advogado Felippe Pestana, coordenador do Escritório Fonseca & Assis Advogados Associados, que presta assessoria jurídica SEEB-RO.

“Pedimos que os funcionários do Banco do Brasil no Estado participem desta live, pois é de extrema importância que tenhamos todos os esclarecimentos necessários para entender, discutir e combater mais este processo que vai afetar a vida de milhares de trabalhadores e da população de diversos municípios rondonienses”, destacou José Pinheiro.

A live será transmitida pelo Facebook e pelo Youtube, e os trabalhadores poderão participar fazendo perguntas pela seção de “Comentários” de ambas as plataformas.